ColunasDestaques

Programa visa efetivar coleta seletiva e beneficiar catadores do lixão de Balsas

A informação é do secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hidricos de Balsas, Rui Arruda, após uma reunião que criou o Projeto Maranhão sem fumaça, ocorrido na última segunda-feira (10) na sede do Sindibalsas.

O projeto envolve a Prefeitura de Balsas, através da Secretaria de Meio Ambiente, Câmara de Vereadores, Empresa Ecolimp e catadores que trabalham no lixão de Balsas.

O programa tem como objetivo integrar e articular as ações de um programa do governo federal voltadas ao apoio e ao fomento à organização produtiva dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis. Ao mesmo tempo, visa melhorar as condições de trabalho desses profissionais, ampliando as oportunidades de inclusão social e econômica e expandindo a coleta seletiva de resíduos sólidos, a reutilização e a reciclagem.

A situação do lixão de Balsas passou por relevantes mudanças na atual gestão de Balsas; antes foco de incêndios que através da fumaça prejudicava muito a população principalmente da região dos bairros Trizidela, Nova Trizidela, Flora Rica e parte do Centro de Balsas. “Assinamos um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o ministério público para não permitir fogo no lixão. Estamos fazendo um controle da cobertura do lixo, fiscalização, controle rígido para evitar focos, um trabalho sério realizado pela Secretaria municipal de Infraestrutura, sempre após permitir que os catadores façam seu trabalho”, ressaltou Rui Arruda.

A prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente até o mês de agosto iniciará uma campanha coleta seletiva em Balsas. “Nossa campanha separa o lixo em material seco (resíduos sólidos, papel, papelão, plásticos, sacolas descartáveis, latas de cervejas, garrafas pets, objetos velhos) e úmido (material orgânico, resto de alimentos, casacas de frutas e outras).  “Vamos conscientizar a dona de casa, a empresa, o cidadão comum separar o lixo úmido que vai para a compostagem, do lixo seco. Já temos uma parceria com a Ecolimp, que vai aproveitar os catadores que vão separar o papel, do plástico, do metal e temos o lixo eletrônico, para ser reaproveitado. Teremos uma empresa que vai comprar esse lixo e já estamos fechando o contrato. Além de fazer o social, oportunizando o trabalho aos catadores, vamos valorizar o trabalho e fazer uma mudança na sociedade para termos uma coleta seletiva. É um trabalho com obstáculos e vamos lutar para implantar esse mentalidade na população e melhorar a qualidade de vida. Estamos lutando para implantar um aterro sanitário na cidade e resolver definitivamente esse problema do lixo”, disse Arruda.

O Projeto Pró-catador em Balsas/MA, trabalha os aspectos mais relevantes da Lei 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos que definiu um regime de gestão dos resíduos sólidos nos estados e municípios, estabelecendo também diretrizes para o desenvolvimento da cadeia produtiva da reciclagem a culminância do projeto Pró-Catadores do Maranhão.

O Maranhão se informa aqui

Márcio Honaiser reúne lideranças e firma compromisso pró Carolina

Agricultores e poder público lançam projeto Maranhão Sem Fumaça em Balsas

A dona de casa, o cidadão vão separar o lixo em dois tipos: úmido (restos de alimentos) e seco (papel, papelão, plásticos, metal, latinhas de cervejas e outros) os catadores de lixo serão contratados para separar para reciclagem. #OMaranhaoSeInformaAqui

Deixe seu comentário
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close