DestaquesPolicial

Operação prende quadrilha que fraudou boletos em cerca de meio milhão de reais

Operação Trojan Horse da Polícia Civil cumpriu mandados e busca apreensões contra suspeitos de integrar associação criminosa.

A Superintendência de Investigação de Criminais (SEIC), por meio do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT) e Laboratório de Lavagem de Dinheiro da PCMA, realizou na manhã desta sexta-feira (15), a “Operação Trojan Horse”, que resultou no cumprimento de mandados de prisão preventiva e busca apreensões contra suspeitos de integrar uma associação criminosa, voltada para fraudar boletos de cobranças de taxas condominiais.

Membros da Quadrilha presos. (Foto: Reprodução)

Esta quadrilha criminosa tinha, como “modus operandi”, a adulteração do código de barras desses boletos de cobranças, que mediante um sistema de computador (software aplicativo – específico para condomínios) que gerava esses boletos de cobranças, uma vez pagos pelos condôminos, esses valores não eram creditados na conta do condomínio e sim na conta de uma pessoa jurídica (uma empresa gerida pelo grupo criminoso). Posteriormente, esse dinheiro, era transferido das contas desta empresa para as contas específicas vinculadas aos membros deste grupo criminoso. O referido grupo criminoso tem causando prejuízos enormes ao condomínio residencial parque das arvores “Grand Park”, deixando o condomínio sem condições de manutenções básicas ou mesmo de sustentabilidade.

Vale ressaltar que esta investigação, iniciada em 27/09/2017, foi extremamente complexa, pois, dentre os membros dessa associação criminosa, destaca-se um servidor público federal, com altíssimo conhecimentos em TI (tecnologia da informação), que, na verdade, era o líder desse grupo criminoso.

Ficou demonstrado nos autos do inquérito policial inerente, que os investigados praticaram condutas amoldadas aos tipos penais do art. 171, CP (estelionato), art. 299, CP (falsidade ideológica), art. 288, CP (associação criminosa) e ainda os delitos previstos na lei 9.613/1998 (lavagem de dinheiro). Por fim, os mandados foram devidamente cumpridos contra Wennys Carlos de Sousa Oliveira, 31 anos, Isaac Pereira do Nascimento, 31, Leide Dayana Dias Silva, 31, e Reinaldo Castro Araujo, 38.

Os presos encontram-se custodiados no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde estão à disposição da justiça. O prejuízo estimado em mais de 500 mil reais no Condomínio Gran Park árvores pelos aludidos indivíduos. Wennys Carlos de Sousa é o real proprietário da “Login Soluções Web” na qual o nome na junta é I P Pereira ME, que está no nome de Izaque Pereira do Nascimento.

O Maranhão se informa aqui

Prefeitura anuncia programação do aniversário de 101 anos de Balsas

Fonte: Blog do Jô Fernandes

Deixe seu comentário
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close