Agronegócio

Soja e milho: safra renderá 4,9 milhões de toneladas no Maranhão

A nova estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra 2017/18 divulgada nesta terça-feira (12) prevê um aumento de 12,5% na colheita de grãos no Maranhão. A previsão é de 5,387,2 milhões de toneladas, ou seja cerca de 600 mil a mais do que a da safra anterior, que foi de 4,790 milhões de toneladas.

Segundo a Conab, além do aumento da produção, houve também crescimento de  9,1% na área plantada, que era de 1,565,3 milhão de hectares e passou para 1,707,7 milhão, e de 3,1% na produtividade, que passou de 3.061 para 3.155 quilos por hectare.

De acordo com o levantamento, as culturas de milho e soja responderão com mais de 4,9 milhões de toneladas. O milho sairá de 1,951,9 milhão para 2,021,3 milhões de toneladas, isto é, 3,6% de aumento. A soja, por sua vez terá o aumento mais expressivo, 18,5%, pois na safra anterior a colheita foi de 2,473,3 milhões de toneladas e na atual chegará a 2.931,2 milhões.

Sobre o arroz, o levantamento estima que haverá um salto de 255,9 mil para 320,0 mil toneladas, o que representa uma variação de 25%. O feijão terá um crescimento de 3,5%, saindo de 56,7 mil para 58,7 mil toneladas, e o algodão terá um aumento de 88,1 mil para 93,3, ou seja, 5,9% a mais.

Nacional – Sobre a produção nacional, a Conab prevê uma queda de 3,4% em comparação à safra passada, foi de  237,7 milhões de toneladas em 2017 e este ano chegará a 229,7 milhões, este número ainda está acima da média de produção nacional, levando-se em conta um período de condições atmosféricas normais. Com referência ao último levantamento, a estimativa total da safra mostra uma diminuição de 2,9 milhões de toneladas. Este fato deve-se aos impactos climáticos no milho segunda safra, mas conta com a ajuda das boas produtividades alcançadas pela soja e o milho primeira safra que já tem a colheita perto do fim.

No pico de volume, estão o milho total e a soja, esta última responsável pelo desempenho produtivo e cujo avanço da colheita vem confirmando a boa produtividade de 3.359 kg/ha, próxima do recorde passado de 3.364 kg/ha. A leguminosa chega a 118 milhões e o cereal, 85 milhões de toneladas. Já o milho segunda safra que responde por 70% da colheita total, alcançou 58,2 milhões de toneladas, cabendo à primeira safra 26,8 milhões de t.

Na ordem de aumento da produção, vem o algodão em pluma, com um volume de 1,9 milhão de toneladas, com registro de 28,1% a mais que a safra anterior. O feijão segunda safra também mostra bom desempenho, com um aumento de 10,9% e colheita de 1,3 milhão de toneladas.

Área – A estimativa aponta para a maior área semeada no país, com 61,6 milhões de hectares. O aumento é de 1,1% ou 693,2 mil ha em relação à safra passada. A área destinada ao feijão e às culturas de inverno respondem por esta pontuação. Na ordem crescente de ganho da área plantada, vem a soja que sai de 33,9 para 35,1 milhões de ha e ganho absoluto de 1,2 milhão de hectares, o maior entre todas as culturas. E na sequência, vem o algodão que alcançou 1,2 milhão de ha, com acréscimo de 236,9 mil ha, e o feijão segunda safra, com 1,5 milhão de ha, graças ao aumento de 121,5 mil ha.

Fonte: Maranhão Hoje

Deixe seu comentário
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close